A vida é um perpétuo desvio que nem sequer permite darmo-nos conta de que é que se desvia.

Franz Kafka

Franz Kafka

Profissão: Romancista
Nacionalidade: Austríaco


A vida é um perpétuo desvio que nem sequer permite darmo-nos conta de que é que se desvia. Franz Kafka

Sugestões para você :

O buraco que o trabalho de génio queimou à nossa volta é um bom lugar para colocar a nossa pequenina luz. Assim a inspiração que emana do génio, a inspiração universal que não nos leva só a imitar.

O cotidiano em si já é maravilhoso. Eu não faço nada mais do que registrá-lo.

Duas possibilidades: fazer-se infinitamente pequeno ou ser assim. A primeira é a perfeição, ou seja, a inacção; a segunda, o início, a acção.

Podes conter-te diante dos sofrimentos do mundo – é algo que tens liberdade de fazer e corresponde à tua natureza, mas talvez seja esse autocontrole o único sofrimento que poderias evitar.

A verdade é sempre um abismo.

Que grande esforço é continuar vivo! Levantar um pesado monumento não requer tanta força.

Precisamos de livros que nos afetem como um desastre, que nos entristeçam profundamente, como a morte a quem tenhamos amado mais que a nós mesmos, como ser banido pra florestas isolas de todos, como um suicídio. Um livro deve ser um machado para o mar enregelado que temos dentro de nós.

Todos os erros humanos são impaciência, uma interrupção prematura de um trabalho metódico.

Não precisa sair de casa. Limite-se a sentar-se à mesa e escutar.

Há problemas que jamais teríamos resolvido se realmente fossem nossos.

Cronos, o mais honesto dos pais, devorou seus filhos.

Via-me forçado a me esquentar com um fogo que eu ainda não havia começado a buscar.

Donde esta confiança súbita? Se ao menos ela ficasse! Se eu pudesse entrar e sair em cada porta assim, uma pessoa razoavelmente erecta. Só que não sei se quero.

O indestrutível é um só: cada indivíduo em particular o é, e ao mesmo tempo ele é comum a todos, daí a força sem paralelo da união indissolúvel entre os homens.