A esperança de ser aliviado lhe dá ânimo para sofrer.

Marcel Proust

Marcel Proust

Profissão: Autor
Nacionalidade: Francês


A esperança de ser aliviado lhe dá ânimo para sofrer. Marcel Proust

Sugestões para você :

Aliás, o amor é um mal incurável como aquelas diáteses em que o reumatismo só dá tréguas para ceder lugar a enxaquecas epileptiformes.

É sempre devido a um estado de espírito não destinado a durar que se tomam resoluções definitivas.

As pessoas mundanas estão de tal modo acostumadas a que as procurem que quem lhes foge parece-lhes uma fênix e domina-lhes por inteiro o pensamento.

Os paraísos perdidos estão somente em nós mesmos.

Em suma, minha tia exigia, ao mesmo tempo em que a aprovassem em seu regime, que a lamentassem por seus padecimentos e que a tranquilizassem quanto ao futuro.

Tentamos achar nas coisas, que por isso nos são preciosas, o reflexo que nossa alma projetou sobre elas, e desiludimo-nos ao verificar que as coisas parecem desprovidas, na natureza, do encanto que deviam, em nosso pensamento, à vizinhança de certas ideias.

Pois o que nós julgamos seja o nosso amor, o nosso ciúme, não é uma mesma paixão contínua, indivisível. Compõem-se eles de uma infinidade de amores sucessivos, de ciúmes diferentes, mas, por sua multidão ininterrupta, dão a impressão da continuidade, a ilusão da unidade.

De sorte que é um erro falar em má escolha de amor, pois, desde que há escolha, só pode ser má.

Deixemos os homens bonitos para as mulheres sem imaginação.

O amor mais obcecante para alguém é sempre o amor de outra coisa.

Seus longos olhos azuis - mais alongados - não tinham guardado a mesma forma; continuavam sim da mesma cor, mas pareciam ter passado ao estado líquido. A tal ponto que, quando os fechava, era como quando com cortinas se impede de ver o mar.

Uma obra em que há teorias é como um objecto no qual se deixa a etiqueta do preço.

Os nomes que designam as coisas respondem sempre a uma noção da inteligência, estranha às nossas impressões verdadeiras e que nos força a eliminar delas tudo o que não se reporte a essa noção.

Nós só conhecemos as paixões dos outros, e o que chegamos a saber das nossas, é deles que podemos aprender.