Sou a criatura mais feliz do mundo. Talvez outras pessoas já o tenham dito antes, mas não com tanta justiça. Sou mais feliz até do que Jane; ela só sorri, eu rio.

Jane Austen

Jane Austen

Profissão: Autor
Nacionalidade: Britânico

Sugestões para você :

Detesto ouvi-lo falar assim, como um cavalheiro requintado, e como se todas as mulheres fossem todas damas delicadas em vez de seres racionais. Nenhuma de nós espera ter mar calmo todos os dias.

A felicidade no casamento é uma questão de sorte.

Em vão tenho lutado comigo mesmo; nada consegui. Meus sentimentos não podem ser reprimidos e preciso que me permita dizer-lhe que eu a admiro e a amo ardentemente.

Seus olhos erravam por aqui, por lá, por toda a parte, maravilhados. Ela viera para ser feliz, e já se sentia feliz.

Mas o orgulho, onde quer que haja uma verdadeira superioridade intelectual, o orgulho estará sempre sob uma boa orientação.

Não quero que as pessoas sejam muito gentis; pois tal poupa-me o trabalho de gostar muito delas.

Ela é tolerável, mas não bela o bastante para me tentar. Não estou com ânimo no momento para consolar jovens rejeitadas por outros homens.

A pessoa que não sente prazer com um bom romance, seja cavalheiro ou dama, só pode ser intoleravelmente estúpida.

O porte físico e a tristeza mental certamente não precisavam ser proporcionais. Porém, seja isso justo ou não, existem conjunções pouco felizes que a razão tentará em vão defender…que o gosto não consegue tolerar…e que serão tomadas pelo ridículo.

Os meus sentimentos não se manifestam por dá cá aquela palha. O meu temperamento poderia talvez ser classificado de vingativo. A minha opinião, uma vez perdida, fica perdida para sempre.

Sempre resignação e aceitação. Sempre prudência, honra e dever. Elinor, onde está o teu coração?

E o senhor nunca sentiu o prazer e o triunfo de ter tido um palpite feliz?

Há poucas pessoas que eu ame de verdade, e menos pessoas ainda de que eu tenha boa opinião. Quanto mais conheço o mundo, mais me sinto insatisfeita com ele; e a cada dia se confirma minha crença na incoerência de toda personalidade humana, e na pouca confiança que podemos depositar na aparência de mérito ou razão.

Pessoas com raiva nem sempre são sábias.