O momento mais solitário da vida de alguém, é quando você assiste seu mundo inteiro desmoronar e tudo o que você pode fazer é olhar para o nada.

F. Scott Fitzgerald

F. Scott Fitzgerald

Profissão: Autor
Nacionalidade: Americano

Sugestões para você :

Quando te sentires com vontade de criticar alguém, lembra-te disto: nem todos tiveram neste mundo as vantagens que tu tiveste.

Na noite profunda e escura da alma, são sempre três horas da madrugada.

O importante é que não se discuta [com os comunistas]… não importa o que você diz, eles possuem mil maneiras de distorcer suas palavras e rebaixá-lo a alguma categoria inferior de ser humano: ‘fascista’, ‘liberal’, ‘trotskista’, desqualificando-o tanto intelectualmente quanto pessoalmente no processo.

A vitalidade é demonstrada não apenas pela persistência, mas pela capacidade de começar de novo.

Há gente que diz que a inteligência deve ter criado o universo; ora, a inteligência jamais construiu um motor a vapor! A inteligência não passa de uma pequena régua que usamos para medir as realizações infindáveis das circunstâncias.

Reservar julgamentos é uma atitude que dá margem ao surgimento de esperanças infinitas.

Eu a amo e isso é o começo e o fim de tudo.

mas carregava o excesso de carne com sensualidade, como algumas mulheres.

Nunca desejei que houvesse um Deus para invocar - desejei frequentemente que houvesse um Deus para agradecer.

E assim continuamos nossas vidas, numa dramática ânsia de ascensão social, vivendo num mundo febril a violência e o materialismo das grandes metópoles. Vivemos como no desespero dos personagens oprimidos pela existência rotineira, buscando a fuga pelo rompimento de velhas convenções sociais e correndo de encontro a um grande vazio.

Um escritor deve escrever para a juventude de sua geração, para os críticos da próxima, e para os mestres de todo o sempre.

Eu não quero repetir a minha inocência. Eu quero o prazer de perdê-la novamente.

Encontre a emoção principal; isso pode ser tudo que você precisa saber para encontrar sua história.

Não há beleza sem dor, sem o sentimento de que estão a desaparecer homens, nomes, livros, casas - destinadas ao pó, mortais...