Você deve apreender a injustiça necessária de todo pró e contra, a injustiça como indissociável da vida, a própria vida como condicionada pela perspectiva e sua injustiça.

Friedrich Nietzsche

Friedrich Nietzsche

Profissão: Filósofo
Nacionalidade: Alemão

Sugestões para você :

É pelo saber que o corpo se purifica,é procurando o saber que se eleva.

O macaco é um animal demasiado simpático para que o homem descenda dele.

A quem chamas mau? Àquele que quer envergonhar sempre.

Todo pensador profundo tem mais receio de ser compreendido que de ser mal compreendido.

Na solidão, o solitário devora a si mesmo; Na multidão devoram-no inúmeros. Então escolhe.

O homem divino cria o seu próprio deus. Porém, não há inimizade pior à superfície da terra do que a inimizade entre deuses.

Nós, artistas! Nós, ocultadores do que é natural! Nós, incansáveis e silenciosos andarilhos, em alturas que não vemos como alturas, mas como nossas planícies, nossas certezas!

Eu não refuto os ideais, apenas ponho luvas diante deles...

Coração encadeado, espírito livre — Quando se prende o coração e se o mantém preso, pode-se permitir muita liberdade ao espírito: eu já o disse uma vez. Mas não se deseja crer-me, porque não era coisa já consabida.

Ao contrário do que hoje se crê, a humanidade não representa uma evolução para algo melhor, de mais forte ou de mais elevado. O "progresso" é simplesmente uma ideia moderna, ou seja, uma ideia falsa.

Quem possui até aqui a eloquência mais convincente? O tambor; enquanto os reis lhe podem dar ordens são eles que continuam a ser os melhores oradores e os melhores agitadores populares.

O cristianismo deve sua vitória a essa desprezível adulação da vaidade pessoal. Conseguiu convencer exatamente todos os fracassados, os simpatizantes da insurreição, os mal sucedidos, todo o lixo e a escória da sociedade.

Um povo é o rodeio da natureza para chegar a seis ou sete grandes homens. - Sim: e para depois se desviar deles.

Os homens são egoístas medíocres, chegando os piores a atribuir mais importância ao hábito do que ao proveito.