Se ensinares, ensina ao mesmo tempo a duvidar daquilo que estás a ensinar.

José Ortega y Gasset

José Ortega y Gasset

Profissão: Filósofo
Nacionalidade: Espanhol

Sugestões para você :

O importante é a lembrança dos erros, que nos permite não cometer sempre os mesmos. O verdadeiro tesouro do homem é o tesouro dos seus erros, a larga experiência vital decantada por milénios, gota a gota.

A civilização avançada envolve problemas árduos. Por isso, quanto maior o progresso, mais está ameaçada. A vida está cada vez melhor; porém, evidentemente, cada vez mais complicada.

Falar à humanidade é demagogia.

É na medida em que dedicamos a vida a algo que a faremos plenamente.

Civilização é, antes de mais nada, vontade de convivência.

Podemos pretender ser quanto queiramos; mas não é lícito fingir que somos o que não somos.

O que distingue um grande poeta é o fato dele nos dizer algo que ninguém ainda disse, mas que não é novo para nós.

O exagero é sempre a exageração de algo que não o é.

É imoral pretender que uma coisa desejada se realize magicamente, simplesmente porque a desejamos. Só é moral o desejo acompanhado da severa vontade de prover os meios da sua execução.

A revolução não é a sublevação contra a ordem preexistente, mas a implantação de uma nova ordem que vira a tradicional pelo avesso.

Não se pode dizer que o poeta persiga a verdade, visto que a cria.

Eu sou eu e minhas circunstâncias.

O prazer estético deve ser um prazer inteligente.

A cultura é uma necessidade imprescindível de toda uma vida, é uma dimensão constitutiva da existência humana, como as mãos são um atributo do homem.