Não aspiro a nada. Dói-me a vida. Estou mal onde estou e já mal onde penso em poder estar.

Fernando Pessoa

Fernando Pessoa

Profissão: Autor
Nacionalidade: Português

Sugestões para você :

O génio, o crime e a loucura, provêm, por igual, de uma anormalidade; representam, de diferentes maneiras, uma inadaptabilidade ao meio.

Sentir é criar. Sentir é pensar sem ideias, e por isso sentir é compreender, visto que o universo não tem ideias.

O historiador é um homem que põe os factos nos seus devidos lugares. Não é como foi; é assim mesmo.

Nenhum corpo de mulher é suficientemente de rainha para que eu o pudesse amar.

Nem sempre um ponto final é um ponto final. É possível, sempre, começar um novo parágrafo, por isso Se achar que precisa voltar, volte! Se perceber que precisa seguir, siga! Se estiver tudo errado, comece novamente. Se estiver tudo certo, continue. Se sentir saudades, mate-a. Se perder um amor, não se perca! Se o achar, segure-o!

O mundo não é verdadeiro, mas é real.

A inteligência parece-me uma masturbação racional. Uma coisa inútil, natural, nascida por degenerescência dos instintos.

A arte real é encontrar o ponto exacto de contacto entre as coisas e a nossa interpretação delas.

Quanto vivas.

Eu sou o intervalo entre o meu querer e o que a vontade dos outros fez de mim.

De sonhar ninguém se cansa, porque sonhar é esquecer, e esquecer não pesa e é um sono sem sonhos em que estamos despertos.

O que o mestre Caeiro me ensinou foi a ter clareza; equilíbrio, organismo no delírio e no desvairamento, e também me ensinou a não procurar ter filosofia nenhuma, mas com alma.

Se te é impossível viver só, nasceste escravo.

Formando de nós um conceito intelectual, formamos um deus de nós mesmos.