Não acredito na tanga de que o amor não deve ser asfixiante. Não acredito na “bullshit” de que o amor deve ser a soma, perfeita, de dois inteiros – e não a soma, essa sim perfeita, de duas metades.

Pedro Chagas Freitas

Pedro Chagas Freitas

Profissão: Autor
Nacionalidade: Português

Sugestões para você :

Há-de haver sempre um livro para ler para nos salvar a vida.

O grande segredo para estares vivo é, por mais evidente que pareça, só morreres quando fores sepultado.

A criança sabe pouco e vive muito, o adulto sabe muito e vive pouco.

A felicidade é uma rotina que se repete sempre diferente. Não fecha os olhos, não imagina o que um dia foi nem o que um dia será. Limita-se a sentir, no corpo, aquilo que nem a alma consegue digerir. Limita-se a sentir. A vida resume-se a sentir.

Ama. Ama por inteiro. Ama sem nada pelo meio. Ama, ama, ama, ama. Ama. Porque é só por aquilo que te faz perder a respiração que vale a pena respirar.

A genialidade verdadeira – fixa isto como se fosse (e é mesmo) a mais importante lição que algum dia recebeste – é viver bem. A genialidade é saber viver. Isso sim: é genial. E, se não sabes viver, por mais obras-primas que cries e mais invenções que descubras, não passas de um burro.

A felicidade é deixar sempre restos por descobrir, restos por tentar.

A infância é o começo da felicidade, e o fim também.

Ter medo de errar é um erro. É sempre um erro. E é o único erro que não tem perdão. Sou maravilhado por quem erra. Por quem sabe que, por fazer, por tentar, pode errar. E são as melhores pessoas, convence-te disso, quem mais erra.

Acontece amor quando encontras em ti partes que nunca soubeste que sentiam.

A obediência é a felicidade a andar de muletas.

O drama da vida é haver vidas instaladas na nossa, somos uma junção de vários pedaços e perder alguém é como uma amputação.

Todos os amores começam assim. No silêncio de um olhar, no silêncio de uma mão dependente da outra, de outra mão vadia a vaguear pela cidade nocturna do teu corpo, no silêncio dos lábios trincados, trocados, massajados, abraçados e voltados a abraçar. Todos os amores são silêncio estendido.

Abraçar é celebrar a humanidade. Abraçar vale mais do que amar. Abraçar é o amor que se ultrapassa. O amor que se transmuta.