Queres perder um inimigo? Adula-o.

Jonathan Swift

Jonathan Swift

Profissão: Autor
Nacionalidade: Irlandês

Sugestões para você :

São poucos os que vivem o presente; a maioria aguarda para viver mais tarde.

Como é possível esperar que a humanidade ouça conselhos, se nem sequer ouve as advertências.

Por vezes a ambição faz aceitar as funções mais baixas; é assim que se sobe, na mesma postura em que se desce..

Nós temos a religião suficiente para nos odiarmos, mas não a que baste para nos amarmos uns aos outros.

A felicidade é o privilégio de andar bem enganado.

Este método estóico de prover as nossas necessidades suprimindo os nossos desejos é como cortar os pés quando necessitamos de sapatos.

Já se observou que os temperamentos circunspectos encontram frequentemente muita satisfação nos contrários, como alívio para a opressiva gravidade do seu.

Um homem nunca deveria ter vergonha de confessar que errou, pois na verdade é como dizer, por outras palavras, que hoje ele é mais sábio do que foi ontem.

De muitos homens se diz que não conhecem a própria fraqueza. De alguns poderia dizer-se ainda que menos conhecem as próprias forças, precisamente como os proprietários de certos terrenos que desconhecem existirem neles filões de ouro.

Desprezada como a lua de dia.

todas as terras que um súdito descobre, pertencem, de direito, à coroa.

A maioria das pessoas são como os alfinetes: suas cabeças não são o mais importante.

No homem, o desejo gera o amor. Na mulher, o amor gera o desejo.

A discussão, da forma como habitualmente é gerida, é o pior desporto da conversa, tal como nos livros é geralmente o pior tipo de leitura.