0 nosso orgulho aumenta muitas vezes com o que retiramos dos nossos outros defeitos.

François de La Rochefoucauld

François de La Rochefoucauld

Profissão: Autor
Nacionalidade: Francês

Sugestões para você :

O que perturba o reconhecimento dos serviços que prestámos, é que o orgulho daquele que os presta e o orgulho de quem os recebe, não podem acertar no preço do serviço.

Engana-se quem pensa que só as paixões violentas como a ambição e o amor triunfam sobre as outras. A preguiça, por lânguida que seja, nem por isso deixa de se impor; sobrepõe-se a todos os desígnios e a todas as acções da nossa vida; destrói e consome insensivelmente as paixões e as virtudes.

O primeiro dos bens, depois da saúde, é a paz interior.

Por vezes, basta ser grosseiro para não se ser enganado por um homem habilidoso.

Quando os vícios nos abandonam, lisonjeamo-nos com a crença de que fomos nós a abandoná-los.

Muita gente menospreza o bem, mas poucos sabem praticá-lo.

Não é tão perigoso fazer mal à maior parte dos homens, como fazer-lhes demasiado bem.

O mais valioso dos bens, depois da saúde, é a paz interior.

Os velhos loucos são mais loucos que os jovens.

A violência que nos fazemos para permanecer fiéis àquilo que amamos, não é melhor que uma infidelidade.

A nossa inveja dura sempre mais tempo que a felicidade daqueles que invejamos.

Aquilo a que chamamos liberalidade não é, o mais das vezes, senão vaidade em dar, que nos agrada mais que o que damos.

Os homens não viveriam muito tempo em sociedade se não fossem enganados uns pelos outros.

Se não tivéssemos tantos defeitos, não nos agradaria tanto notá-los nos outros.