Respira o sabor de um beijo, o toque de um afago, o som de um arfar. Respira a mão de fogo de quem te ama, o suor em êxtase de quem te chama. E o abraço que não passa, e as palavras que te embraçam, e os olhares que te apertam. Respira – para saberes que vale a pena continuar.

Pensa: desde quando suportas o que não aguentas?

Há que amar por inteiro mas apenas aos pedaços.

A vida existe no momento em que mudas, ou és incoerente ou estás morto, e ser à noite o que fui de dia é um dia perdido.

Quem é amado não tem o direito de fazer o imperdoável. Amar é grande demais para aguentar uma pequenez assim.

A diferença entre ser feliz e não ser feliz está na escolha das palavras, o mais feliz, aprendi num instante, é sempre aquele que diz melhor.

É ele, o conforto, o que mais mata os humanos. Querer estar sempre bem. Não óptimos, não eufóricos, simplesmente bem. E ter um medo louco de estar mal, de doer. É a fuga constante ao que dói que mais magoa os humanos, que mais os vai afastando da vida.

O amor consiste na capacidade de encontrar todas as paixões num só corpo.

A vida é pequena demais para perdermos tempo a gastar energias em algo que não envolva amor.

Amar à distância só acontece quando não se ama. Quando se ama, até a distância de um beijo é longe demais.

Nunca são as palavras a fazer as pessoas que as dizem.

A felicidade é a possibilidade de Deus, não mais, a possibilidade de um milagre - é muito mais feliz a possibilidade de um milagre do que o próprio milagre; os milagres são uma seca, algo impossível acontecer não me excita minimamente, excita-me mais a tensão de um desafio, procurar superá-lo por mais improvável que pareça.

O amor, quando se ama, não ocupa tempo - é o tempo.

São os que premeiam a excelência que fazem com que a excelência esteja acima da média – com que a excelência não seja a média. São os que premeiam a excelência que fazem com que a mediocridade seja expectável – e não, como deveria ser, dizimável.

Se os sonhos têm de ser perseguidos, porque estás aqui parado a ler isto?

O amor é bem capaz de ser a melhor maneira de nos encontrarmos connosco. Preciso de ti para saber de mim.

Ninguém no seu estado mental perfeito aguenta a vida, o segredo da felicidade é o segredo da dose exacta de loucura.

Há gente, em todo o lado, em todos os lados que estão ao teu lado, a precisar da tua rebeldia. A precisar do teu grito, da tua força, da tua coragem, da tua inspiração. Troca o medo pelo cedo. Cedo. É cedo que tens de agir, é cedo que tens de estar, de fazer, de guinchar se for preciso.

Viver consiste em ver tudo de novo: viver consiste em fazer tudo de novo. Como se tudo, mesmo o que já se foi novo, seja de novo novo. Viver consiste em ser, todos os dias, virgem de felicidade: criança de exaltação.

É o que fazemos perante o que não interessa nada que nos define, sobreviver é estar pronto para dar tudo pelo que não interessa nada.

Stop: Se Tens Orgulho Parte. Se Tu Ousares Podes. Se Tens Olhos Pula. E salta, e grita, e exige em vez de pedires, e manda em vez de tentares, e faz em vez de sonhares. Deixa-te de desculpas, de evasões. Deixa-te de te deixares, deixa-te de te perderes na malha dos teus receios. Vai, faz.

Não preciso de ti para respirar. Preciso de ti, isso sim, para ficar sem respiração.

Uma mulher apaixonada alimenta de pedaços suculentos de vazio o que sente: basta um sorriso, uma palavra menos agressiva, um simples carinho, para tudo voltar a fazer sentido e o amor ser perfeito – perfeito: um amor perfeito para uma mulher completamente apaixonada não é mais que uma conta de nada mais nada, que resulta em tudo para ela.

O amor mata. Mas apenas porque dura, na pior das hipóteses, até à morte.

Só quem ama corre o risco de perder; os outros correm apenas o risco de continuar perdidos.

É - sobretudo - por causa dos que vivem na Lua que vale a pena viver na Terra.

A grandeza de um homem mede-se, amiúde, pela capacidade de rir para os outros quando está a chorar para si.

O mal de querermos saber o que não devíamos saber é o de ouvirmos dizer o que não queríamos ouvir.

Há nas pessoas felizes uma moral condescendente, uma espécie de desprendimento satisfeito.

Só o erro gera a mudança, só o erro obriga à mudança. Só o erro te leva na direcção mais acertada. Qualquer livro de História te comprova que estou certo.

Amar é com urgência, amar é com pressa, com pulsão. Amar com tranquilidade é gostar muito. Amar com tranquilidade é, no máximo, adorar bastante. E gostar muito e adorar bastante não chega.

Qualquer um sabe mexer-se; mas são raros o que sabem mexer-se no sentido certo.

De que me vale saber o mundo – se não me sei o lugar, a rua, o bairro? De que me vale ser o que tudo sabe – se não me sei saber de verdade?

Os amores perfeitos duram pouco. Os amores perfeitos são passageiros. Os eternos exigem dedicação. Exigem construção. Há que carregar muitas pedras às costas para construir um amor eterno.

Só há um tipo de pecado: o que nos mantém vivos. Quem vive sem pecar e morre sem pecar nunca na realidade viveu. Limitou-se a andar por cá. Quem nunca pecou não é santo; é defunto. Nasceu morto.

A felicidade, quando é vista como o ponto mais alto da tua vida, é uma nulidade. Uma serenidade. E a serenidade é uma seca. Esquece a felicidade. Quando quiseres viver, exige-te loucura, exige-te algo que não tem sequer denominação - de tão forte, de tão intenso, de tão único: de tão tudo.

Tudo o que somos é pessoas e tudo aquilo de que precisamos é de pessoas. É quando a melancolia chega que percebemos que são as pessoas que nos salvam do abismo.

Saber amar é também muito saber rir. Ainda estamos juntos porque ainda rimos juntos.

A felicidade é uma rotina que se repete sempre diferente. Não fecha os olhos, não imagina o que um dia foi nem o que um dia será. Limita-se a sentir, no corpo, aquilo que nem a alma consegue digerir. Limita-se a sentir. A vida resume-se a sentir.

Ser feliz não é ter mais felicidade; ser feliz é ter melhor felicidade.

Uma ilusão vale todas as desilusões do mundo. Ousar cair é o único caminho para te levantares.

O drama da vida é haver vidas instaladas na nossa, somos uma junção de vários pedaços e perder alguém é como uma amputação.

É isso, ser-se bom e não ter medo em assumir-se como bom, o que mais faz falta ao mundo. Malta que se é. Malta que se diz boa – e que é mesmo boa. Malta que recusa a música do coitadinho – e que, por isso, sai do seu cantinho.

Amar é saber que até os sofrimentos podem fazer sentido.

Antes um idiota que tenta do que um génio que aguenta.

O amor é essa fronteira tão irresistível entre o que a decência permite e a excitação obriga.

O altruísmo é a mais atroz forma de egoísmo que a humanidade conseguiu conceber. (...) O altruísta é aquele gajo que pensa que quando está a fazer os outros felizes está a esquecer-se de pensar em si. Mas não: o altruísta é, na realidade, aquele gajo que ajuda todos – para se ajudar a si mesmo.

A vida vale muito pela qualidade das separações que nos dá, pela profundidade das saudades, por exemplo, quem nunca chorou que nem um maluco nunca amou que nem um maluco.

A velhice é uma ressurreição triste, ensina a viver e depois mata, o fascismo do corpo dói que se farta.